CAMPA se reuniu no último sábado
1ª reunião do Conselho Arquidiocesano de Missão e Pastoral Ampliado
em Notícias da Arquidiocese

OUÇA ESSE TEXTO:

 

Sob a Presidência de Dom Mauricio Grotto de Camargo, Arcebispo Metropolitano, realizou-se, no sábado dia 17 de junho, das 9h às 11h30, no Salão Paroquial da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, em Botucatu, a 1ª reunião do Conselho Arquidiocesano de Missão e Pastoral Ampliado – CAMPA, deste ano de 2017.


Após a oração inicial, leitura da Ata da reunião anterior e apresentação de alguns novos membros, foram tratados os seguintes assuntos:

 

  • DA NATUREZA DO CAMPA. Como órgão maior da pastoral Arquidiocesana, o CAMPA trata de assuntos de interesse da inteira Arquidiocese. Os seus membros não devem se sentir desmotivados porque nessas reuniões não são tratados assuntos específicos de suas respectivas Pastorais ou Movimentos. Enquanto membros do CAMPA todos são conselheiros que avaliam e apresentam sugestões a respeito de assuntos pastorais de interesse geral da Arquidiocese.

 

  • AS FERRAMENTAS OU INSTRUMENTOS DA PASTORAL. Para o bom funcionamento de uma Diocese são necessárias algumas ferramentas ou instrumentos de trabalho; no nosso caso, alguns já preparados e outros em preparação: 1- O Guia Informativo; 2- O Manual de Normas e Procedimentos Jurídico-Administrativos; 3– O Diretório Arquidiocesano da Pastoral dos Sacramentos. Estes já estão prontos. Outros: 4– As Diretrizes Arquidiocesanas de Missão e Pastoral; 5- O Banco de Dados/ Controle e atualização das funções, nomes e endereços nos 3 espaços da organização pastoral: Paróquias, Regiões Pastorais e Coordenações Arquidiocesanas; 6- A Comunicação como instrumento de informação e formação de todos os Agentes de Pastoral e arquidiocesanos em geral. Estes 3,  estão sendo elaborados.

 

 

  • AVALIAÇÃO DE 3 DOS Foram avaliados os três instrumentos já prontos: o  Guia Informativo, o Manual de Normas e Procedimentos Jurídico- Administrativos e o Diretório dos Sacramentos, quanto ao conhecimento, uso e aplicação nas Paróquias. Das conversas e avaliações, o resultado é que todos os três são pouco conhecidos e, por isso mesmo, necessitam de maior divulgação. As sugestões que foram apresentadas serão repassadas ao CAMP, que na qualidade de  órgão executor, cuidará dos devidos encaminhamentos.

 

 

ESCLARECIMENTO: Nessa avaliação surgiu a questão do porquê da exigência da Certidão de Crisma por parte de quem se apresenta para ser Padrinho (a), a qual, segundo foi  afirmado, acaba por se tornar um instrumento de exclusão de muitas pessoas da vida da Igreja.

 De acordo com  o espírito,   a partir do qual foi elaborado o Diretório dos Sacramentos, a exigência da apresentação da Certidão de Crisma para ser Padrinho (a) tem por objetivo justamente superar o estado de exclusão no qual essas pessoas já se encontram em relação à vida sacramental da Igreja. A intenção, portanto, é o contrário!

 

É a inclusão. Se essas pessoas que chegam, nessas circunstâncias e  em situação irregular quanto aos Sacramentos, se bem acolhidas, bem orientadas e encaminhadas à Catequese de Adultos, as mesmas serão, após a devida preparação e recepção dos Sacramentos que lhes faltam,  aí, sim, verdadeiramente incluídas na vida sacramental da Igreja.

 

Quem sabe, essa é a última oportunidade que essas pessoas terão, antes de um possível  abandono definitivo da fé católica, da qual, pela falta da vivência desses mesmos Sacramentos, já se encontram bastante afastadas. Acredita-se, assim, que agindo desse modo, acolhendo, e até mesmo procurando por essas pessoas, e regularizando essa situação, pratica-se uma Pastoral dos Sacramentos numa dimensão missionária!

 

  • DIRETRIZES ARQUIDIOCESANAS DE MISSÃO E PASTORAL – DAMP. Essa está sendo elaborada a partir  dos textos da V Conferências de Aparecida, da Exortação Apostólica Evangelii Gaudium, do Papa Francisco, e dos últimos documentos da CNBB. A parte especifica da Arquidiocese será o resultado do trabalho  das Assembleias Paroquiais que estão e precisam ser realizadas até o final deste mês de junho.  

O texto completo será apresentado para   avaliação e possível aprovação por parte do CAMP, na reunião do próximo dia 03  de agosto. O Texto será, então, encaminhado à Arquidiocese inteira para uma última avaliação.

Aprovado pelo Arcebispo, a  promulgação das Diretrizes Arquidiocesanas de Missão e Pastoral – DAMP – está prevista para o dia 15 de novembro, no La Salle, das 08h às 12h, na celebração conclusiva do Ano Mariano na Arquidiocese, com a presença de, pelo menos, 15 pessoas por Paróquia.

 

  • ESTUDO DA 3ª PROPOSTA: ORGANIZAÇÃO PASTORAL DA ARQUIDIOCESE. A assim chamada 3ª proposta tem por objetivo: a implantação das Pastorais e Movimentos nas  Paróquias; a articulação dessas Pastorais e Movimentos com a organização de suas  coordenações regionais nas RPs e o bom funcionamento em toda a Arquidiocese.  Esse é um trabalho que nunca termina e precisa estar sempre recomeçando com as devidas, necessárias e constantes atualizações.

 

  • A FUNÇÃO DOS PRESIDENTES DE COMISSÕES PASTORAIS, ASSESSORES ARQUIDIOCESANOS E PADRES COORDENADORES DAS RPS. Na organização pastoral da Arquidiocese, tal como vem sendo realizada já desde os Arcebispos anteriores, a atual estrutura que a  Arquidiocese possui, com a distribuição das funções em Presidentes de Comissões Pastorais, Assessores Arquidiocesanos de Pastorais e Movimentos e Padres Coordenadores das Regiões Pastorais, necessita atingir seus objetivos, mediante um trabalho conjunto, onde todos se ajudam e se completam. Para isso, no entanto,  é preciso ter clareza quanto à finalidade e ao cumprimento das respectivas funções, sem invadir as áreas dos outros.

 

 A função dos Presidentes de Comissões Pastorais, dos Assessores Arquidiocesanos de Pastorais e Movimentos e os Padres Coordenadores das RPs não é a de determinar o que cada Pastoral ou Movimento deve fazer. Cada Pastoral ou Movimento já tem o seu objetivo, metodologia e espiritualidade. A função é, antes de tudo, incentivar e supervisionar para que cada Pastoral ou Movimento esteja organizada, funcionando e atingindo, de fato, o seu objetivo.

 

  • REGIÕES PASSTORAIS: PROPOSTA DE TRABALHO. Embora  alguns detalhes devam ser melhor  esclarecidos ou completados na reunião do CAMP, foi apresentada e aprovada uma proposta em vista do bom funcionamento das reuniões presididas pelos Padres Coordenadores das Regiões Pastorais com os Padres e Coordenadores de Pastorais e Movimentos Regionais.

 

  • REUNIÃO COM PADRES DA REGIÃO PASTORAL : 4 Reuniões por ano. Em cada  reunião, 2 momentos. O 1º Momento: Apresentação de um tema ligado à vida e à missão do Presbítero, feita por um dos Presbíteros da Região Pastoral; 2º Momento: Assuntos pastorais da Arquidiocese ou da Região Pastoral, com o envio de um resumo para toda à Arquidiocese.

 

  • REUNIÃO COM COORDENADORES REGIONAIS DAS PASTORAIS E MOVIMENTOS: 4 reuniões por ano. Em cada reunião, 2 momentos. O 1º Momento: Apresentação de um tema ligado à vida e à missão do Cristão Leigo, feita por um dos Coordenadores de Pastorais ou Movimentos  da Região Pastoral; 2º Momento: Assuntos pastorais da Arquidiocese ou da Região Pastoral, com o envio de um resumo para toda à Arquidiocese.

 

  • A 55ª ASSEMBLEIA DA CNBB. Dom Mauricio, apresentou um resumo das atividades da 55ª Assembleia da CNBB, realizada em Aparecida, de  26 de abril a 05 de maio de 2017, colocando em  destaque o Tema central, cujo documento aprovado deve sair em breve: “ A Iniciação à Vida Cristã”.

 

Com a reza do Angelus e a benção final, encerrou-se, às 11:30h,  mais essa reunião do CAMPA. A próxima será no dia 02 de dezembro de 2017.

 

Essa reunião do CAMPA foi mais uma oportunidade que a Arquidiocese teve, sempre na continuação com tudo o que vinha sendo realizado,  para fazer uma retrospectiva da sua caminhada pastoral, em especial dos últimos anos, e avançar alguns passos no processo de busca pela Igreja que queremos, como resultou da avaliação de  2014.

 

E para a Arquidiocese, seguindo a V Conferência de Aparecida, a Evangelii Gaudium, do Papa Francisco e os últimos documentos da CNBB, e também como resultado do trabalho que estamos realizando, a Igreja que queremos é aquela que se caracteriza como sendo Discípula Missionária, nas suas dimensões constitutivas: Ministerial, Casa e Escola de Comunhão e Samaritana.

 

Que nada, de modo algum, apesar das nossas limitações e fragilidades humanas, tire ou roube de nós a alegria, consequência e implicação de  uma vida vivida a serviço da pregação do Evangelho e da edificação da Igreja!



em 2017-06-20 11:18:59
Fonte:
arquidiocesebotucatu.org.br

Paróquia-Santuário
Nossa Senhora da Piedade
Lençóis Paulista SP
14-3263.0130
piedade@lpnet.com.br
© Direitos Reservados 2017